COMO É ESCREVER UM LIVRO? - ENTREVISTA COM PRISCILA BARONI


Hoje venho com uma ótima notícia! O blog fechou uma nova parceria, dessa vez com a autora Priscila autora do livro "Branco", que gentilmente concedeu ao blog uma entrevista contando como foi o processo de escrita de seu livro e enviou um exemplar para que eu pudesse ler e resenhar. 


A autora

Priscila C. Baroni nasceu em São Paulo. Apaixonada por leitura desde cedo, a autora é fã de histórias de fantasia, ficção científica e aventura, o que a incentivou a escrever. Apesar de já ter escrito artigos para revistas científicas em sua profissão como bióloga, Branco é sua primeira obra literária.


Sinopse do livro: No Bosque das Vozes, uma garota acorda. Quem ela era? A garota descobre que não é a única pessoa buscando por essa resposta. Todos os que um dia apareceram por aquelas terras surgem sem memórias, sem saber quem são e como foram parar ali. Algo tira suas lembranças, mas o quê? Acolhida por apreensivas crianças, a menina percebe que está em uma pequena aldeia pertencente a um reino maior, comandado por um rei tirano que conquistara seu poder com guilhotinas. Ela logo descobre que não possuir memórias não é o problema, mas sim o seu próprio surgimento. Todos sabem que os neonatos aparecem apenas na Cidade Real e em nenhum outro lugar. Então por que aparecera no meio do Bosque? Por que via imagens em seus sonhos como lembranças apagadas por um grande borrão branco? Incontáveis perguntas sem respostas fazem com que encontre apenas uma solução para não ser notada: viver uma vida pacata com os moradores da aldeia, seus novos amigos e um velho vendedor de ervas medicinais que a acolheu. Porém, eventos inesperados farão com que o curso de sua vida seja alterado. Capturada, a garota se depara com novas descobertas que poderão mudar completamente sua história e a de todos os moradores do reino. Basta saber se as mudanças serão boas ou se seu pescoço irá arder o suficiente para fazer sua cabeça rolar.

Entrevista

1.  Priscila, quanto tempo você demorou para escrever seu livro? Já tinha a ideia fazia tempo?

A primeira vez que escrevi algo relacionado à essa história foi em 27 de novembro de 2012. Tenho o hábito de sempre marcar a data quando começo a escrever, por isso consigo saber com tanta certeza. Apesar de ter começado há quase quatro anos, escrevi em menos tempo, já que desenvolvia a história poucas vezes no mês - faculdade, trabalho, mestrado, tudo isso acabou tomando muito do meu tempo. Não que seja algo ruim, é claro. Adorei fazer essas outras coisas também! 

O primeiro parágrafo que escrevi não está inserido no primeiro capítulo do livro e eu estava longe de ter uma ideia formada quando o coloquei no papel. Uma garota sem memórias nunca havia me ocorrido, muito menos um reinado inteiro na mesma situação. Acredito que a partir do momento que os personagens principais começaram a tomar forma, a história foi se formando junto com eles. Admito que por muitas vezes não planejava o que viria a seguir, o que o próximo capítulo reservava para os habitantes da aldeia. E eram nesses momentos que a narrativa se criava sozinha e os caminhos eram escolhidos pela própria Alice. A melhor sensação do mundo é ver seus personagens criando vida!


2. Como foi o processo de publicação?

Entrei em contato com a Editora Autografia através do site da empresa e enviei o manuscrito original. A editora Autografia tem uma ótima proposta de publicação para novos autores que buscam uma maneira de divulgar seu trabalho sem gastar muito dinheiro. Após 15 dias do primeiro contato com a editora recebi a confirmação que minha obra havia sido aceita para a publicação e imediatamente entraram em contato comigo para fechar a questão do lançamento. Eles me propuseram três opções e escolhi uma parceria de publicação e meta de vendas para o dia do lançamento. Se eu atingisse a meta, eu não precisaria pagar nada! 

A própria editora faz a diagramação e a arte de capa , seguindo as minhas instruções. Foram super atenciosos e fizeram tudo do jeitinho que eu pedi! Recomendo.


3. Você se inspirou em alguém que conhece para desenvolver algum personagem?

Nenhum dos meus personagens foi baseado em alguma pessoa real que eu conheça, mas todos os principais apresentam características marcantes que admiro muito nas pessoas e que eu mesma gostaria muito de ter (como inteligência, coragem, a capacidade de fazer os outros rirem mesmo em situações ruins, companheirismo...). Porém, fisicamente falando, para criar o senhor vendedor de ervas medicinais - o Nicolini - imaginei uma mistura dos atores Eugene Levy e Jim Carter! Não sei o porquê, mas eles vieram imediatamente na minha cabeça. Vai entender...


4. Quais seus autores preferidos? Eles serviram de inspiração para você?

Meu autor preferido é o J.R.R. Tolkien e tem sido desde os meus 12 anos! Além dele gosto muito dos trabalhos da Cornelia Funke, Stephen King, Agatha Christie e Dan Brown. A coisa mais difícil é encontrar apenas um que eu goste e apenas um livro preferido. 

Acho que Branco não se assemelha muito às histórias criadas por meus autores favoritos e eu nunca me compararia a eles, nem em um zilhão de anos. Mas acho que não posso negar que uma coisinha ou outra acabam se refletindo na forma que escrevo. Talvez eu seja um pouco descritiva demais - legado de sr. Tolkien. Uso frases curtas, assim como King. Inevitável ! :)


5. Qual a maior dificuldade que você encontrou durante a produção do livro?
Tempo. A minha maior dificuldade foi organizar meu tempo. Eu gostava de escrever, me divertia e me emocionava com os personagens, mas com tantas coisas para fazer acabava deixando essa terra sem lembranças de lado. Foi só quando tomei um posicionamento de que terminaria a história é que tudo começou a fluir.

6. Tem alguma curiosidade que você queira nos contar?
Chorei ao menos duas vezes enquanto escrevia Branco e mais uma quando terminei e reli o último capítulo! Sem grandes novidades, sou uma chorona mesmo. *risos*


E aí, gostaram do livro? Logo sairá resenha. 

minha experiência maravilhosa com a Amazon


Pensem em um site para comprar livros amorzinho com preços bons, entrega rápida e atendentes sempre prontos para nos ajudar. Pois é, essa é a Amazon. <3 Já encheria esse post de elogios se tivesse sido somente a entrega rápida, mas precisei trocar o livro e foi a troca mais rápida que já fiz na vida. 


Encomendei o livro "A Joia" na Amazon no dia 16 de Agosto, no dia 17 ele já tinha chegado. Paguei dois reais a mais do que o lugar mais barato que encontrei, porém lá a entrega era de 7 dias. O livro veio bem embalado e protegido. 

No dia 18, percebi que havia uma defeito de fabricação no livro e precisaria trocar. Comprei o livro para autografar na bienal e com a minha experiência de trocas anteriores, fiquei morrendo de medo do novo não chegar a tempo. Entrei no site da loja e pedi para um atendente me ligar, era quase 10 horas da noite e em menos de um minuto eu já estava na minha com um atendente. O pedido de troca foi realizado e eles me enviariam um novo, com previsão de entrega para o dia 22 por causa do final de semana. 


O novo livro chegou antes da data prevista por eles e no dia 20 de agosto, mesmo sendo um sábado, ele já estava em minhas mãos. 

Pedir para trocar o livro foi tão rápido que superou até as lojas físicas e a entrega da troca foi tão rápida quanto a primeira. Somando o tempo da entrega do primeiro e do segundo livro não daria os sete dias úteis que teria que esperar para chegar se comprasse em outro site. Depois disso, a loja com certeza se tornou minha preferida e recomendo para todos! 

E aí, vocês já compraram lá? 

5 livros para ler em um dia


Tem dias que a gente tem vontade de ler uma historia curtinha, né? Sentar em único dia e ler o livro inteiro, sem ter que se preocupar com continuações ou ler 400 páginas para saber como a história termina. Pensando nisso resolvi unir os meus cinco livros curtos preferidos e recomendar para vocês. 

Princesa Adormecida - Paula Pimenta

Anna Rosa é uma garota normal, ou pelo menos ela pensa que é, morou com os tios até os 11 anos e depois se mudou para um colégio interno de garotas. Um dia, ela simplesmente acordou e descobriu que era uma princesa e tudo o que ela acreditava ser sua vida, era falso. Resenha.






As Vantagens de Ser Invisível - Stephen Chbosky 
Charlie é um garoto diferente, ele não é cheio de amigos ou tem uma família perfeita. O livro é a reunião das cartas que ele começa a mandar para um anônimo sem se identificar, nelas ele conta sua vida, como é se sentir infinito, a descoberta do primeiro amor, o valor da amizade e como pequenos momentos podem ser tão importantes. Resenha.





Fake - Felipe Barenco

Téo mora em uma região pobre no Rio de Janeiro, onde todos ficam super orgulhosos quando ele passa na faculdade federal e começa a fazer o curso de Direito. Longe da vida acadêmica, ele conhece Davi, um paulista que foi para o Rio tentando ser ator e os dois trocam telefone, mas o Davi some. Um ano depois, eles se encontram novamente e dessa vez mantém contato. Resenha.





O Menino do Pijama Listrado - John Boyne

Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os Judeus. Também não faz idéia de que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos de que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e, para além dela, centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com um frio na barriga. Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel, um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. Resenha.


Marina - Carlos Ruiz Zafón

O estudante de internato Óscar Drai, de 15 anos, passa todo o seu tempo livre, andando pelas ruas e se encantando com a arquitetura de seus casarões. É um desses antigos casarões aparentemente abandonados que chama a atenção de Oscar, que logo se aventura a entrar na casa. Lá dentro, o jovem se encanta com o som de uma belíssima voz e por um relógio de bolso quebrado e muito antigo. Mas ele se assusta com uma inesperada presença na sala de estar e foge, assustado, levando o relógio. Dias depois, ao retornar à casa
para devolver o objeto roubado, conhece Marina, a jovem de olhos cinzentos que o leva a um cemitério, onde uma mulher coberta por um manto negro visita uma sepultura sem nome, sempre à mesma data, à mesma hora. Os dois passam então a tentar desvendar o mistério que ronda a mulher do cemitério. Resenha.

E aí, qual livro vocês leram rapidinho e recomendam?