Fake - Felipe Barenco (em vídeo)


Téo mora em uma região pobre no Rio de Janeiro, onde todos ficam super orgulhosos quando ele passa na faculdade federal e começa a fazer o curso de Direito. Longe da vida acadêmica, ele conhece Davi, um paulista que foi para o Rio tentando ser ator e os dois trocam telefone, mas o Davi some. Um ano depois, eles se encontram novamente e dessa vez mantém contato. 

Quer saber mais sobre o livro? Assista o vídeo. 


E aí, já leram? 


Participe do top comentarista de outubro


À Sombra da Lua - Marcos DeBrito

 DeBrito, Marcos. À Sombra da Lua. Terror. Rocco. 288 páginas. 

Vila Socorro é um vilarejo normal durante o dia, mas de noite seus moradores se trancam em suas casas em busca de proteção. Há anos um criatura misteriosa vem cometendo assassinatos e ninguém encontra um culpado para os corpos humanos e de animais que são encontrados nos arredores da floresta. Enquanto a cidade está em pânico, Álvaro, que teve toda sua família assassinada, conhece Alana, filha do médico do vilarejo e os dois se envolvem em uma paixão proibida. 

Esse é o primeiro livro de terror que eu resenho e tem um bom motivo para isso: eu sou uma pessoa muito medrosa, mas resolvi ter uma primeira experiencia com o gênero e não podia ter começado melhor. O livro é muito bom, o autor tem uma das melhores narrativas que eu já li e a história é incrível. Eu consegui ler sem problemas nenhum e não me aterrorizou. 


A primeira coisa para começar a ler esse livro é esqueça qualquer tipo de teoria que você tenha sobre o final. Eu, fã de romancezinhos clichês e adolescentes, tinha minhas teorias românticas sobre tudo o que aconteceria e fui derrubada no meio do livro. Chegou em um ponto que eu não tinha ideia de como seria o final, é surpreendente a cada página e o autor conseguiu montar uma trama completamente nova, que me fez não conseguir parar de ler. 

Eu sempre quis ler um livro com lobisomens, alguma coisa além de crepúsculo, que realmente explicasse mais sobre o mito e esse livro é exatamente isso. O Marcos faz uma relação enorme com o mito do lobisomen e a igreja, são várias passagens explicando o que é o lobisomen, da onde surgiu isso, como eles são e essas coisas. Tudo isso misturado em uma história maravilhosa. 


Em relação ao romance, é merecedor de palmas. Essa é a parte mais clichê do livro, mas é super bem escrito e bem feito. O livro se passa em 1920, em uma cidadezinha pequena, onde Álvaro é pobre e por causa dos assassinados de sua família, que a culpa recaiu ao seu pai, ele é visto com preconceito pelos outros e Alana é da alta sociedade. Além do romance deles, também conhecemos os pais de Álvaro, desde a imigração da Itália até os seus últimos dias de vida.

Não posso dizer que o livro se tornou um dos meus favoritos, porque apesar de eu ter amado a história, não é meu gênero preferido, mas o Marcos DeBrito com certeza entrou para minha lista de autores preferidos porque ele escreve MUITO bem. Sério, ele tem uma narrativa maravilhosa, bastante descritiva, mas não é cansativa, ele desenvolve bem os diálogos, os pensamentos, os cenários, tudo. Ele conseguiu ganhar meu coração completamente e estou super ansiosa para ler outros livros dele. 


A diagramação do livro é bem simples, as páginas são brancas e os capítulos são médios e dentro deles tem a divisão por dias. A capa não é maravilhosa, mas achei condizente com a história e bastante séria. Já nela dá para saber que a história irá tratar de lobisomens. 

5/5

Elantris - Brandon Sanderson


Sanderson, Brandon
Elantris
Literatura Fantástica
LEYA
576 páginas
Resenha sem fotos, pois o livro foi lido na versão e-book

Elantris era considerada a cidade dos Deuses, onde as pessoas tomadas pela Shaod, transformava as pessoas em semideuses. Há 10 anos, Elantris virou uma cidade amaldiçoada pela magia e seus habitantes que antes eram considerados deuses, passaram a ser seres sem vida e condenados a sofrer pela eternidade. O príncipe de Arelon, cidade vizinha, foi tocado pela Shaod e com uma morte fingida, jogado em Elantris, tendo que aprender a viver com essa nova realidade. 



Elantris é um livro muito difícil de ser descrito porque contém um grande volume de informações e personagens. No começo, isso me deixou bastante confusa, porque me perdia em quem era quem ou o que estava acontecendo, mas conforme eu fui lendo e conhecendo melhor os personagens, a leitura se tornou bem mais rápida e entendível.

A história é dividida entre os três personagens principais, que são a visão do narrador cada um capítulo: o Raoden, príncipe herdeiro do trono que acaba em Elantris, Sarene, a nova princesa que é obrigada a casar com o príncipe supostamente morto e Hrathen que vai para Arelon com o objetivo de converter o povo a religião Shu Dereth. Entre os três, sem dúvida nenhuma, meu personagem preferido foi Raoden, ele é fofo, corajoso, luta por aquilo que quer e me conquistou demais.

O livro aborda vários temas interessantes, como o preconceito que é muito bem retratado por Sarene sendo considerada inferior e incapaz por ser menina, mas no fim se mostrando uma pessoa muito forte e inteligente. Há também as disputas religiosas, mesmo aqueles que cultuam o mesmo Deus acabam brigando para se mostrar mais certo e a questão política do governo das cidades. Eu que achava que seria um livro mais voltado para guerras e matanças, fiquei surpresa com a história do livro.

Dizer se eu gostei ou não é um ponto complicado, achei o livro muito bem escrito, o autor é incrível, ele descreve as coisas muito bem e tem uma narração maravilhosa, mas eu muitas vezes me via cansada de tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo, tantas conversas políticas e religiosas e como não gostei do Hrathen, um dos personagens em quem os capítulos focavam, acabou que a leitura se arrastou um pouco. O problema não é o livro, sou eu que não gosto tanto assim de literatura fantástica. Recomendo para todos que gostam desse gênero, é um livro muito bom.